Skip to content

Transbordamento das funções da escola

02/06/2012

Antônio Nóvoa, educador português que admiro, há algum tempo vem abordando a questão  do transbordamento das funções da escola. O autor se refere ao fato da escola assumir diversas funções que não são inerentes a sua função na sociedade. Governo, família, comunidades, associações, sindicatos e outros organismos sociais esquecem que também possuem papel na educação das futuras gerações. Um espaço público de educação não deve ser constituído exclusivamente pela escola.

Livrando-se da dispersão causada pelo enorme conjunto de prioridades demandadas à escola, esta talvez  possa se concentrar no seu objetivo maior: o aprendizado dos alunos.

Uma escola sem resultados efetivos na aprendizagem de seus alunos não está cumprindo com o seu papel social. Internamente, gestores, professores, funcionários e alunos, e externamente, pais, organizações e empresas, devem definir objetivos e metas pedagógicas capazes de  desenvolver capacidades e habilidades de todos os jovens, independentes de origem social ou de qualquer outras deficiência cognitiva que possam ter.

Escola para rico com conteúdos e preparação para as melhores carreiras e escola para pobre, com finalidade social e formação cidadã é uma aberração que fere  a concepção pública de educação para todos.

Anúncios

From → Educação

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: